4ª Fase


O processo de semi-intensificação proposto neste projeto será fundamentado, dentre outros fatores, na adoção de densidades da ordem de 15 juvenis de camarão/m2, o que requer o emprego de ração artificial.

    A metodologia de aplicação de ração em viveiros de camarões marinhos, demonstrou nos últimos anos, uma evolução impressionante, passando do sistema tradicional baseado em tabelas fornecidas pelos próprios fabricantes, ao sistema de bandejas como avaliadoras de consumo e finalmente, ao mecanismo da distribuição centralizada em comedouros, que será adotada no presente empreendimento. O processo de alimentação dos camarões (arraçoamento) será realizado duas vezes por dia (as 08:00 e as 16:00) com o uso de ração artificial própria para a espécie.